Esqueceu sua senha?
 
 
 
 
Busca Avançada
 
 
 
Receba as notícias da
Nutrição em Pauta
em seu e-mail
 
 
 1591 artigos encontrados em Notícias
 
 
Do frio para o calor, do calor para o frio
 
Oscilar entre ambientes frios e quentes durante o dia é muito comum. Em busca do próprio conforto térmico, há quem ligue o ar-condicionado em temperaturas mínimas ou extremas. Como consequência, gripes, sinusites e amigdalites e outras doenças respiratórias podem surgir. Porém não é o uso do ar-condicionado que faz mal e, sim, as variações bruscas de temperaturas, excessivamente quente ou fria, que são fatores de agravo para crises alérgicas.

O entra e sai de lugares quentes e frios é prejudicial ao organismo e pode agravar uma série de problemas respiratórios. O choque térmico mexe com a liberação de hormônios. Com o tempo, a exposição ao quente e ao frio desequilibra o sistema hormonal, causando alergias e deixando o sistema imunológico mais fragilizado. O sair de um ambiente quente para outro frio, a pessoa deve colocar um agasalho para evitar a mudança brusca. É preciso esperar até que a temperatura do corpo se equilibre.

No carro, o uso de ar-condicionado também deve ser usado com moderação. Pode ser usado desde que as saídas de ar não estejam diretamente apontadas para o rosto. Para fazer um bom uso do aparelho basta usá-lo numa temperatura não muito alta ou baixa, manter a limpeza dos filtros, e trocá-lo a cada 10 mil km.

Coceira, espirro, coriza e obstrução nasal são os principais sintomas da maioria dos quadros alérgicos. Para combater o ressecamento da umidade do ar provocado pelo uso do ar, a médica indica manter a mucosa nasal bem hidratada com uso de soro fisiológico e a ingestão de bastante água. Essa atitude é importante porque o ressecamento das mucosas pode piorar as alergias respiratórias .

 O que acontece no organismo

 Do calor para o frio:

 Nariz, mãos e pés são os primeiros a ficarem gelados, porque o corpo faz esforço para levar o sangue quente das extremidades para os órgãos vitais.
•    O coração bate mais devagar, privilegiando a circulação entre os órgãos vitais.
•    A pressão aumenta.
•    A respiração fica mais acelerada porque precisa aumentar o oxigênio no sangue.
•    Para diminuir a perda de calor para o ambiente, o organismo aciona os pelos que se arrepiam.
•    Alimentos e bebidas quentes funcionam como fontes externas de energia e hidratação.
•    Agasalhos agem como isolantes térmicos, contendo a queda da temperatura.
 
Do frio para o calor:

 O rosto fica corado e  mãos e pés inchados, porque para levar o sangue quente para os órgãos internos, há dilatação dos vasos sanguíneos.
•    O coração bate mais rápido, acelerando a circulação do sangue.
•    A pressão diminui.
•    A respiração se intensifica.
•    Para perder calor o corpo produz mais suor. Quanto maior a temperatura, mais as glândulas sudoríparas trabalham. Em excesso essa perda pode causar desidratação.

FONTE
Dra. Scheila Sass - otorrinolaringologista pediátrica do Hospital Nossa Senhora das Graças. Médica Otorrinolaringologista. Especialista pela Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial. Graduação em Medicina pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná
 
 
 
 
 

 
Nossos Patrocinadores
   
 
© Copyright Nutrição em Pauta. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso.