Esqueceu sua senha?
 
 
 
 
Busca Avançada
 
 
 
Receba as notícias da
Nutrição em Pauta
em seu e-mail
 
 
 1565 artigos encontrados em Notícias
 
 
Cirurgia metabólica é opção para tratamento de pacientes com diabetes
 
Benefícios da cirurgia são comprovados e contribuem para a remissão do diabetes mellitus tipo 2.

Já se sabe que o excesso de peso oferece diversos prejuízos para a saúde física e mental. Mas estar acima do peso pode ainda causar diversas doenças perigosas, como o diabetes mellitus tipo 2 (DM2), mais frequente em adultos e, no Brasil, atinge mais de 16 milhões de pessoas, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Essa condição está ligada diretamente com o sobrepeso, o sedentarismo e os maus hábitos alimentares.  Hoje, muitas doenças surgem devido ao estilo de vida inadequado, o corpo precisa funcionar em perfeito equilíbrio e para isso, hábitos saudáveis são essenciais. O ideal é buscar uma equipe multidisciplinar para ajustar todos os aspectos do corpo, cuidar da saúde e evitar complicações.
Quando não há resposta ao tratamento convencional, a opção de cirurgia metabólica pode ser estudada com o especialista. O procedimento é seguro e idêntico ao da bariátrica, que tem como principal finalidade a perda de peso. Porém, o principal objetivo da cirurgia metabólica é garantir o controle do diabetes, que uma vez estabelecido, também ajudará na melhora da taxa de gordura no sangue e na hipertensão arterial, oferecendo resultados positivos a curto, médio e longo prazos.

Existem duas técnicas diferentes para esse tipo de cirurgia. O bypass é a opção mais indicada e eficaz, onde a redução do estômago se dá através de grampeamento. O estômago é dividido em duas partes, sendo uma menor que será por onde o alimento irá transitar e outra maior, que ficará isolada. Esse pequeno estômago é ligado ao intestino para que o alimento possa seguir seu curso natural. Já a gastrectomia vertical é um procedimento um pouco mais invasivo, com a retirada de dois terços do estômago e indicada quando a primeira opção não puder ser realizada.

O procedimento é uma boa opção para aqueles que são diagnosticados com obesidade mórbida, sem nenhuma expectativa de melhora. Quando o foco é a doença metabólica em si, e não só o excesso de peso, o tratamento auxilia em outros fatores como no equilíbrio endócrino mais adequado. Porém é necessário ficar atento às normas da resolução para a indicação da cirurgia nesses casos, como por exemplo, o paciente precisa ter diabetes mellitus tipo 2 há menos de 10 anos, ter mais de 30 anos e no máximo 70 anos, não ter contraindicações para a cirurgia, dentre outros fatores igualmente importantes.

Fonte
Dra. Adriana Agnelli - Especialista em cirurgias do aparelho digestivo, cirurgia bariátrica e coloproctologia.
 
 
 
 
 

 
Nossos Patrocinadores
   
 
© Copyright Nutrição em Pauta. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso.