Esqueceu sua senha?
 
 
 
 
Busca Avançada
 
 
 
Receba as notícias da
Nutrição em Pauta
em seu e-mail
 
 
 385 artigos encontrados em Entrevistas
 
 
Alergia alimentar: Precisamos conversar mais sobre o assunto
 
Especialista alerta sobre os benefícios do aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida para a prevenção de alergia alimentar, bem como a necessidade do acompanhamento nutricional após o diagnóstico. Em alguns casos a alergia alimentar pode dificultar o desenvolvimento físico, cognitivo e a saúde bucal da criança.

1) Qual é o percentual de crianças com alergia alimentar e como pode ser prevenida?

Dados divulgados pela Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI) revelam que entre 6% e 8% das crianças com menos de três anos tenham alergia alimentar. E destaca a importância do aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida. A única forma comprovada de prevenção é o leite materno.

A alergia alimentar pode aparecer em qualquer idade. A mais comum, à proteína do leite da vaca, ocorre antes do primeiro ano de vida. O uso de fórmulas de leite, cada vez mais precoce, aumenta as chances de desenvolver alergia alimentar, o que pode levar à perda nutricional devido as diarréias intensas, irritabilidade em casos graves e a anafilaxia. Uma doença potencialmente fatal. Por essa razão, alerta pais e familiares. A alergia alimentar hoje em dia é muito mal conversada. Não basta apenas restringir a ingestão do alimento. A criança, a partir do momento que é diagnosticada com alergia - e para isso deve fazer todos os exames -, deve ter acompanhamento nutricional, para que não ocorram problemas posteriores como na saúde bucal e até no desenvolvimento.

2) Quais são os sintomas da alergia alimentar?
Entre os sintomas mais comuns das crianças com alergia alimentar estão: cólicas excessivas, diarreias, sangue nas fezes e presença de urticária (manchas vermelhas na pele) após a ingestão do leite. Por isso, sugiro aos pais, familiares e cuidadores que façam um diário alimentar. Nele poderá conter informações sobre a rotina da alimentação da criança, bem como as reações, para que saibam exatamente - com auxílio do pediatra -, quais alimentos estão causando esses desconfortos.

3) O que é Alergia Alimentar?
Reação do sistema imunológico que ocorre logo após a ingestão de um determinado alimento, a alergia alimentar afeta de 6% a 8% das crianças. Em alguns casos, pode causar sintomas graves ou até mesmo uma reação com risco de vida - conhecida como choque anafilático.

É fácil confundir alergia alimentar com intolerância alimentar, que é uma reação muito mais comum. Esta última, no entanto, é menos grave e não envolve o sistema imunológico.
A alergia alimentar geralmente começa na infância, mas pode ocorrer em qualquer idade. Muitas crianças desenvolvem tolerância ao alimento conforme envelhecem, mas algumas podem durar a vida toda.

Fonte: ASBAI - Associação Brasileira de Alergia e Imunologia
 

 
Autor
 
Dra. Verônica Tavares
 
Pediatra, Especialista em Imunologia do Centro de Especialidades Pediátricas do Hospital Samaritano de São Paulo.
 
 

 
Os autores estão em ordem alfabética.
 
 

 
Nossos Patrocinadores
   
 
© Copyright Nutrição em Pauta. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso.