Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
 
Esqueceu sua senha?
 
 
 
 
Busca Avançada
 
 
 
Receba as notícias da
Nutrição em Pauta
em seu e-mail
 
 
 119 artigos encontrados em Nutrição Hospitalar
 
 
Interação Droga X Nutriente na Terceira Idade
 
O envelhecimento é um processo não homogêneo que cursa com diversos tipos de doenças crônicas, levando a um alto consumo de drogas, correspondendo a aproximadamente 30% dos medicamentos vendidos.
O estado nutricional do idoso corresponde ao reflexo de sua vida passada no presente. A progressão das alterações nos processos biológicos, a medida em que o tempo passa, leva às modificações estruturais e funcionais nos tecidos do organismo e à diminuição da capacidade de reprodução celular, gerando modificações nos órgãos, onde a diminuição da eficiência é causada por perda de células, ficando a capacidade funcional nas células restantes.

Segundo Smith (1995), o idoso, em casa, consome de três a sete diferentes drogas e, hospitalizado, dez ou mais tipos por dia. Sabemos que a eficácia terapêutica e a toxidade dos medicamentos estão diretamente relacionados à sua interação com os alimenalimentos e/ou nutrientes. Tanto os alimentos quanto os medicamentos, para serem utilizados no organismo, devem atravessar barreiras constituídas por membranas celulares.

Quando a substância é utilizada por via oral, é necessário que primeiramente atravesse o epitélio do trato gastrointestinal e, uma vez no sangue, é necessário que atravesse outras membranas para chegar ao seu local de ação ou de utilização. Apesar de que possam existir diferenças entre as barreiras, o caminho das substâncias através delas apresenta características comuns, já que, geralmente, as substâncias passam através das células e, não, entre elas.
Infelizmente, a falta de eficácia do medicamento e os efeitos nutricionais indesejáveis estão no nosso dia a dia e poderiam ser previsíveis e evitáveis se houvesse conhecimento do assunto de todos os membros da equipe de saúde.

Desenvolvimento

As interações drogas x nutrientes no idoso podem sofrer várias interferências, a saber:

  •     as drogas podem alterar a biodisponibilidade dos nutrientes;
  •     os nutrientes podem alterar a biodisponibilidade das drogas;
  •    o nutriente pode provocar ineficácia da droga e reações adversas;
  •  o medicamento pode promover deficiências nutricionais;
  •   as doenças crônicas interferem na utilização das drogas e dos
      nutrientes;
  • a alteração do estado nutricional do paciente interfere na
      biodisponibilidade das drogas;
  •     o uso múltiplo de drogas pode levar a várias interações e efeitos
      colaterais que, em segunda intenção, levam às alterações do estado
      nutricional;
  • o uso de bebida alcoólica pode potencializar ou diminuir o efeito da
      droga;
  •     os pacientes que moram sozinhos ou em asilos, sem supervisão,
      cometem mais erros quanto à utilização de drogas e não se alimentam
      bem;
  •      os pacientes idosos e portadores de várias patologias são menos
      capazes de se recuperarem das colateralidades e dos efeitos nocivos
      sobre os nutrientes e, automaticamente, sobre o estado nutricional.


A magnitude da interação depende, resumidamente, da natureza física e química do medicamento; da formulação na qual o alimento é administrado; do tipo e volume da refeição; da ordem da ingestão dos alimentos e dos medicamentos; do intervalo de tempo entre a alimentação e a administração do medicamento; da concentração e tempo do uso da droga; da idade e do estado nutricional do paciente.

Devemos avaliar criteriosamente o paciente geriátrico quanto à prescrição de múltiplas drogas, conhecendo bem seus efeitos colaterais e suas interações com outras drogas e com os nutrientes, principalmente as mais usadas na rotina hospitalar e de ambulatório, como laxativos, diuréticos, suplementos de potássio, ácido acetil salicílico, hipotensores, anticonvulsivantes, etc.
 

 
Autor
 
Prof. Dra. Nelzir Trindade Reis
 
Nutricionista e Médica, responsável pelo Ambulatório de Nutrição Clínica do Serviço de Endocrinologia e Nutrição da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro. Prof. Titular (aposentada ) da Universidade Federal Fluminense. Prof. Adjunta A de Nutrição Clínica da Univ. Veiga de Almeida. Livre Docente em Nutrição Clínica pela UGF. Autora dos livros "Nutrição Clínica na Hipertensão Arterial", "Nutrição Clínica no Sistema Digestório" , "Nutrição Clínica – Alcolismo" e " Nutrição Clínica - Interações ". Acadêmica Titular da Academia Brasileira de Administração Hospitalar.
 
 

 
Os autores estão em ordem alfabética.

Este artigo é um resumo. O artigo em sua íntegra pode ser encontrado na revista Nutrição em Pauta, edição Mai/Jun/2000
 
 

 
Nossos Patrocinadores
   
 
© Copyright Nutrição em Pauta. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso.